Comer direito, praticar alguma atividade física e emagrecer são tarefas difíceis, não é mesmo? E arranjar tempo para fazer tudo isso é um dos desafios do homem e da mulher moderna. Mas, para a nossa sorte, existem várias ações que ajudam a atingir esses objetivos. O jejum intermitente é um deles.

Trata-se de uma estratégia nutricional caracterizada por períodos alternados entre o jejum e a alimentação regular. E ele está em alta entre os nutricionistas, afinal estudos mostram que, além do emagrecimento, ajuda a diminuir o colesterol e a pressão arterial.

E aí, ficou interessado no assunto? Então você está no caminho certo, ou melhor, no texto certo! Aqui vamos falar mais sobre o jejum intermitente, seus tipos, quem pode fazer e até mesmo a sua diferença para homens e mulheres. Vamos lá?


O que é?

Como definimos rapidamente ali em cima, este é um método de emagrecimento que intercala períodos de jejum com a alimentação. O objetivo principal é fazer com que o corpo utilize o estoque de gordura e com isso tenha uma perda da massa gorda.

Geralmente são indicadas entre 10 a 24 horas de jejum, o que pode ser realizado diariamente ou somente em alguns dias da semana. A janela de alimentação é o período em que a alimentação é liberada. Fora dela, a pessoa deve consumir líquidos que não tenham calorias como água, chás e café sem açúcar.


Como fazer o jejum intermitente?

Existem vários protocolos desse tipo de dieta e eles podem pedir mais ou menos tempo de jejum. Porém, é importantíssimo destacar que, antes de qualquer ação, você deve consultar um especialista. Somente ele poderá indicar a melhor forma para você seguir. Dito isso, vamos aos tipos:


Jejum de 12 horas

É o mais comum. Você passa metade do dia sem comer, incluindo as oito horas recomendadas de sono. Aqui é indicado fazer três refeições ao longo do dia, ficando, por exemplo, das 20h da noite até às 8h da manhã sem comer.


Sistema Leangains

Esse método foi criado pelo sueco Martin Berkhan e a pessoa fica em jejum por 16 horas. Aqui pode fazer de duas a três refeições nas oito horas que restam. Você vai escolher qual é o melhor momento para criar sua janela de alimentação.


Protocolo Coma - Pare - Coma

A pessoa escolhe um ou dois dias da semana nos quais vai ficar totalmente de jejum. Nesses períodos se faz uma refeição e, depois, come-se de novo no mesmo horário, mas no outro dia. Ele costuma ter uma adaptação difícil e é importante comer alimentos ricos em fibras antes de começar.


Quem pode fazer?

O jejum intermitente é indicado para quem já faz um acompanhamento nutricional. Se você já tentou outras dietas e não teve sucesso, também é ideal seguir esse tipo de estratégia alimentar.

Já idosos, crianças, gestantes, pacientes com enxaquecas ou problemas renais devem evitar fazer. Além disso, indivíduos com imunidade baixa e que façam uso de medicação controlada também não podem.


Existe diferença para homens e mulheres?

Sim, existe. Normalmente as mulheres aguentam períodos menores do que os homens. Isso acontece porque eles têm mais massa muscular, ou seja, tem mais reservas de glicogênio, uma outra fonte de energia do corpo. Para elas, é indicado que sigam jejuns de 12 horas. Já eles podem chegar até 14 horas sem alimentos.
 

E quais são os benefícios?

Ele pode trazer diversos benefícios para a saúde quando o jejum é acompanhado de um profissional e bem feito. São eles:

  • redução dos níveis de insulina e glicemia;
  • redução da abdominal;
  • maior concentração do hormônio do crescimento;
  • redução do risco de Obesidade, Diabetes tipo 2 e doenças como Alzheimer e Parkinson;
  • redução da inflamação.


Como você pode acompanhar neste texto, o jejum intermitente tem diversos benefícios. Tanto para quem quer emagrecer quanto para quem está à procura de uma vida mais saudável. Independentemente do seu objetivo, busque informações com um profissional antes de qualquer atitude. Só assim vai conseguir alcançar o corpo ideal ou a aquela saúde de invejar!

Curtiu o conteúdo? Então assine a nossa newsletter e tenha acesso a mais textos como este!