O organismo humano é detentor de uma complexidade incrível. Todos os nossos processos biológicos existem para a manutenção da vida, como a vontade que muitas vezes sentimos de ingerir alimentos doces. É então, por exemplo, que começamos a questionar: doce faz mal?


Se você já ouviu essa pergunta ou se já a fez a si mesmo, continue lendo nosso artigo. Queremos mostrar a você o que é o açúcar, como a humanidade lidou com o desejo por doces nos tempos remotos de nossa história e como você pode desenvolver hábitos alimentares e de vida equilibrados para promover mais saúde.


Afinal, o que é açúcar?

Para entender o que é o açúcar é necessário deixar claro, primeiramente, que a vida precisa de energia para se manter. No caso dos humanos, essa energia é obtida por meio da ingestão de alimentos. As principais fontes de energia que nosso organismo utiliza são os macronutrientes: carboidrato, gordura e proteína.
 

Os açúcares são categorias de carboidrato, isto é, são energia. Eles estão divididos em subcategorias:
 

  • frutose — como o próprio radical da palavra indica, a frutose é o açúcar das frutas. Também pode ser encontrado na cana-de-açúcar e no mel;
  • lactose — é frequentemente chamada de açúcar do leite. O organismo dos bebês está bem preparado para processar esse açúcar, pois possui quantidade suficiente da enzima responsável por quebrar a molécula da lactose para, assim, ser aproveitada pelo corpo. Pessoas com deficiência nessas enzimas são os intolerantes à lactose;
  • sacarose — açúcar encontrado na cana-de-açúcar e raízes de beterraba. É a partir desse dissacarídeo que se produz o açúcar de mesa;
  • glicose — naturalmente encontrado nas plantas e frutas, esse açúcar também pode ser produzido pelo próprio organismo humano, sendo transformado em glicogênio ou utilizado como fonte de energia primária.
     

O que se sabe sobre a ingestão de açúcar nos tempos primitivos?

Gary Taubes, autor do livro O caso contra o açúcar (tradução livre), investiga como se davam as relações do ser humano primitivo com o açúcar. Aprendemos que, nos dias primitivos, o desejo por doces era algo bom, pois quanto mais doces fossem as frutas encontradas mais ricas elas seriam em nutrientes.


Além disso, a insulina — hormônio presente no processo de estoque de energia — é produzida em maior quantidade quando há mais açúcar na corrente sanguínea. Assim, como a comida não era tão abundante nos tempos mais remotos, o papel do açúcar para o processo de armazenamento de energia era fundamental para a manutenção da vida nos tempos de escassez.


Viu como nosso organismo é inteligente! Porém, sabemos que nunca consumimos tanto açúcar quanto nos últimos tempos, e que o brasileiro, especificamente, chega a ingerir 50% a mais de açúcar do que o estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS)


Como equilibrar a ingestão de açúcar na sua dieta?

Como você leu, o açúcar tem seu lugar para o funcionamento adequado de diversas funções biológicas. Agora, queremos mostrar a você como equilibrar a ingestão de açúcar no seu dia a dia e como hábitos de vida saudáveis podem ajudar:
 

  • prefira os alimentos in natura grãos, verduras, legumes, frutas e carne animal são exemplos de alimentos in natura. Prefira o consumo deles; frutas são ricas em frutose, porém, também são ótimas fontes de outras vitaminas essenciais para nosso organismo;
  • evite açúcares processados e refinados — eles são desprovidos de outros nutrientes e vitaminas, e sua ingestão causa aumento drástico de glicose no sangue, podendo desregular a produção de insulina;
  • pratique atividades físicas — não há dúvidas dos benefícios proporcionados pela prática de atividade física e os doces também podem auxiliar na reposição de glicogênio durante e/ou após treinos intensos;
     

Como você deve ter notado, o maior mal do açúcar para o nosso organismo acontece quando nossos hábitos alimentares se distanciam do que é essencialmente natural — e talvez isso tenha se intensificado a partir da Revolução Industrial. Por isso, vale a pena dedicar tempo e atenção quando o assunto é alimentação; não fique sem cuidar da sua.


Afinal, comer doce faz mal? Diante de tudo que vimos até aqui, a resposta mais coerente é "depende". Acesse este outro artigo e conheça como usar ingredientes saudáveis para dar sabor às suas receitas.